O Batata está de volta para escrever sobre um ótimo média metragem japonês, estrelado pelo ator mais citado aqui no blog (e aposto que continuará sendo), Tadanobu Asano, dono de uma filmografia invejável! Procurem esse filme para assistir, porque é realmente uma obra de arte. Divirtam-se!

Dragões. Seres fascinantes que aparecem na mitologia das mais diversas civilizações, ocidentais e orientais, podendo ser símbolo do sobrenatural, de sabedoria, ou apenas terríveis bestas destruidoras.

ELECTRIC DRAGON 80.000V (dirigido por Sogo Ishii, 2001), trata sobre o último tipo.

Os dragões existem, adormecidos dentro do coração de cada ser humano. Porém, ao receber uma descarga elétrica na infância, o dragão no coração de um garoto acorda. Sua personalidade muda, conforme vai crescendo, o garoto se torna mais forte, violento, e as terapias de choque já não são mais o suficiente, pois o garoto é um condutor de eletricidade ambulante. A única coisa que consegue acalmar a eletricidade dentro dele é a guitarra elétrica. Ele é “Dragon Eye Morrison” (acreditem, a empolgação do narrador – o lutador de MMA Masakatsu Funaki – é um dos grandes destaques do filme).

Com um poder semelhante, surge um desafiante, cujo objetivo é apenas confrontar o protagonista. Ele é “Thunderbolt Buddha” (que apesar de ser um ser superpoderoso, meio homem meio Buda, tem que trabalhar na indústria elétrica para sobreviver. Grande sacada).

Sim, a história é essa, simples e efetiva. Dois seres atormentados e poderosos destinados a se confrontar. Nada demais, não vai mudar a vida de ninguém; mas que filmão legal!

Com um ritmo dinâmico, e uma trilha sonora certeira e desconcertante, o diretor Sogo Ishii (que também é o roteirista) consegue criar um clima urbano e sujo que, surpreendentemente, cai como uma luva nas belas tomadas, enquadramentos e na fotografia preta e branca.

Thunderbolt Buddha

O filme pode ser considerado uma graphic novel, já que utiliza muito da linguagem dos quadrinhos numa história simples e fechada, incluindo até mesmo letras estilizadas no estilo mangá, que cobrem a tela nas frases de efeito.

Mas a grande força da película está em seus protagonistas, interpretados por dois grandes astros do Japão.

Dragon Eye Morrison é interpretado por Tadanobu Asano (que inclusive é o responsável pelas ilustrações do filme), que possui entre seus trabalhos mais famosos, ICHI THE KILLER (Takashi Miike, 2001), ZATOICHI (Takeshi Kitano, 2003), SURVIVE STYLE 5+ (Gen Sekiguchi, 2004). Sua próxima aparição será interpretando Hogun em THOR (Kenneth Branagh, 2011).

Já o Thunderbolt Buddha é interpretado por Masatoshi Nagase, que possui no currículo MISTERY TRAIN (Jim Jarmusch, 1989), SUICIDE CLUB (Shion Sono, 2001), e vários outros títulos (infelizmente, apesar de ser uma estrela no Japão, não conheço muitos filmes com esse ator, por isso não coloquei mais destaques. Mas acreditem, o cara já trabalhou muito).

Concluindo, assistam a esse filme naqueles dias em que não tiverem nada pra fazer, e quiserem uma diversão empolgante e rápida (55 minutos pra ser exato), pois a história do filme pode não ser nada demais, mas ele é dotado de um estilo único e original.

Escrito por Renato Batarce.

Dragon Eye Morrison