Takashi Miike é um gênio, e se você está lendo esse blog provavelmente já sabe disso. Se ainda não sabe, assista a algum filme dele e comprove. Comece por VISITOR Q, você não irá se arrepender.

Este filme faz parte de uma coletânea de seis longas chamada Love Cinema, um projeto envolvendo diretores independentes japoneses, e embora tenham sido apresentados em sessões exclusivas em uma única sala de cinema em Tóquio por um breve período, foram lançados diretamente no mercado de vídeo japonês.  A proposta da coletânea era chamar atenção para a produção mais barata das novas mídias digitais disponíveis na indústria cinematográfica no início da década.

Poster do filme

Poster do filme

Até aí, tudo bem. Mas Miike parece ter visto nesta empreitada a oportunidade de chocar o público. E mesmo que ele não tenha feito o filme com este objetivo em mente, ele se saiu muito bem!

Ao assistir o filme acompanhamos uma família em que o pai é cliente regular da filha prostituta, a mãe também se prostitui para poder sustentar o vício em heroína, o filho apanha de valentões na escola, mas espanca a mãe sadicamente em casa e por aí vai… Em meio a esse caos familiar, um homem misterioso (o visitante do título) será acolhido pela família após ter agredido o protagonista violentamente com uma pedrada na cabeça nos primeiros minutos da trama.

Contar mais seria estragar as surpresas do roteiro para quem ainda não assistiu ao filme, mas se você achou bizarro até agora, ainda não viu nada. A violência aumenta e há espaço na história para mutilações, homicídios e até uma hilária cena de necrofilia! Tudo isso ocorre sem que nada seja mostrado na tela de forma gratuita, confirmando o talento do diretor.

Fiz as contas aqui e já assisti a 19 trabalhos de Miike, o que é muito pouco considerando que sua filmografia atualizada indica que ele possui mais de 70 trabalhos desde sua estréia em 1991 (entre longas para cinema, TV e mercado de vídeo, documentários, episódios e séries de TV completas).

Alguns de seus filmes foram lançados em DVD no mercado nacional, anotem aí: ICHI THE KILLER, DEAD OR ALIVE e DEAD OR ALIVE: BIRDS pela Europa Filmes, que não se dignou a lançar DEAD OR ALIVE FINAL e completar a trilogia; IMPRINT pela Paris Filmes, episódio integrante da primeira temporada da série de TV a cabo MASTERS OF HORROR; ONE MISSED CALL pela Alpha Filmes, somente para locadoras, tentando pegar rabeira no sucesso que fez a regravação norte-americana por aqui, intitulada UMA CHAMADA PERDIDA; e por fim, FAMILY, pela Orion Filmes, em uma edição tosca com uma dublagem muito vagabunda, por sinal.

VISITOR Q compete com ICHI THE KILLER como meu filme preferido de Takashi Miike, e Takashi Miike compete com Park Chan-Wook e Alejandro Jodorowsky pelo posto de diretor preferido deste que vos escreve. Mas isso é pano para manga para outras postagens!

A filha...

The Visitor

...o visitante...

... e o pai.

Esse vídeo aí acima foi editado por alguém na net… coloquei no post porque funciona bem como amostra do filme, dá pra ter uma idéia do que está por vir. Já o link abaixo é de fato o trailer oficial do filme, bem mais confuso e sem noção:
 
Nota: Este post foi publicado originalmente em 29/12/2009 no antigo host http://www.pelicularaivosa.blogspot.com/ . As informações de lançamentos dos filmes se referem à esta data.